Assine Agora! (é grátis)
Receba novos artigos, descontos, promoções, conteúdo exclusivo e muito mais sobre PILATES!

Dor nas costas

Publicado em Saúde
Compartilhar no Facebook

Segundo a Organização Mundial de Saúde, pelo menos 85% das pessoas vivenciará pelo menos um episódio de dor nas costas ao longo da vida. Esse tipo de dor é uma das mais frequentes causas de afastamento do trabalho. E essas lesões habitualmente são originadas por posturas e posições indevidas no ambiente de trabalho.

As pessoas mais propensas a sofrer de dor nas costas estão enquadradas em grupos de fatores de risco. São eles: grupos etários vulneráveis (entre os 30 e os 50 anos), gênero (mulheres mais propensas que os homens), postura (quem cultiva uma postura deselegante e pouco cuidada), forma física (sedentários sofrem mais), profissões de alto risco (trabalhadores na indústria da construção civil, manobrador de grua, condutor de escavadora, trabalhadores não especializados).

Além disso, deve-se ter em conta fatores psicológicos que podem afetar a qualidade da postura. Os indivíduos sujeitos a muito stress, que têm reações físicas governadas pelas emoções e flutuações de humor tendem a sofrer mais com dores nas costas.

mulher-dor-costas-trabalho.jpg

A dor nas costas é a forma do corpo protestar contra o stress e obrigar a um abrandamento geral das atividades. Além disso, muitas pessoas que estão sobre pressão constante durante longos períodos de tempo, sem repouso adequado ou férias, e que têm péssima qualidade de sono, tendem a não dedicar atenção às necessidades do corpo e apresentam dificuldades em ter uma sensibilidade adequada para sentir quando precisam dar mais atenção a própria saúde.

Para evitar problemas no futuro, é preciso estabelecer estratégias de prevenção, sendo uma delas através de algum tipo de exercício físico. Um deles frequentemente recomendado é o Método Pilates. A prática regular de Pilates permite que haja um fortalecimento da musculatura responsável por uma boa postura e evita lesões comuns, tais como, tendinite, escoliose, lombalgias, cervicalgia, entre outras.

Leia mais: Benefícios do Pilates

A tendinite, por exemplo, tem uma causa mecânica e é causada por esforços repetitivos e prolongados, sendo que a má preparação física poderá predispor mais rapidamente a inflamação dos tendões. Um treino de Pilates focado numa boa mobilidade articular, no fortalecimento da musculatura circundante das principais articulações solicitadas somado a um suave alongamento poderá prevenir o surgimento dessa patologia. Uma musculatura bem condicionada e trabalhada protege os tendões das inflamações recorrentes.

tendinite.jpg

No caso da escoliose adquirida, seu surgimento deve-se à manutenção de uma péssima postura durante prolongado período de tempo. O ambiente de trabalho, assim como o treino físico, será considerado importante na prevenção dessa patologia. O desvio da coluna em “S” pode provocar forte dores e limitar enormemente a qualidade de vida do indivíduo. No treino de Pilates é possível não só prevenir o surgimento de escoliose, mas na maior parte dos casos, também consegue tratar com exercícios de força estimulando o lado mais enfraquecido do corpo.

Na lombalgia, dor mais frequente entre os trabalhadores, existe alguma dano do tipo tecidual ou crônica, em que devido a esforços excessivos, movimentos bruscos ou má postura, o surgimento de dor acontece de forma progressiva e incapacitante.

lombalgia.jpg

O Pilates nesses casos objetiva proporcionar um bom condicionamento físico, integrando corpo e mente, melhorando e aumentando a amplitude e capacidade de movimento, trabalhando a força, controle e equilíbrio muscular, diminuindo ou extinguindo os períodos de dor.

O método corrige a postura e melhora a função muscular, permitindo uma vida mais saudável e livre de dores.

Na cervicalgia (dor na região cervical), uma simples contratura muscular no pescoço (torcicolo) pode originar muitas dores. Os sintomas vão desde rigidez na musculatura, postura alterada por conta da dor e alterações na mobilidade. A dor manifesta-se no pescoço, mas pode irradiar para os ombros e membros superiores. Como prevenção, o Pilates pode evitar crises com base em exercícios respiratórios, de mobilização da região e fortalecimento muscular, a fim de estabelecer o correto alinhamento das vértebras cervicais.

mulher-cervicalgia.jpg

Esse tipo de dor é muito comum nos trabalhos mais sedentários (posição sentado) em que há um alinhamento incorreto dos ombros e da cabeça, aumento da cifose dorsal (posição corcunda), lordose cervical (avanço da cabeça) e aumento da tensão muscular do pescoço.

O Pilates propicia relaxamento muscular e consciência corporal para que o indivíduo consiga detectar quando está sobrecarregando as estruturas do pescoço.

mulher-bola-pilates

Novidades por Email Grátis!

Artigos, dicas exclusivas, cursos e promoções por email!